sexta-feira, 2 de maio de 2008



LÁGRIMAS...
Jesus Chorou - João 11:35

João 11:35 é o menor versículo da Bíblia. Não obstante, encerra uma das maiores expressões de sentimento de Jesus em todo Novo Testamento, uma vez que ela descreve que Deus, não apenas se fez homem, em Cristo Jesus, como também participou da dor e da angústia humana. Em palavras simples, descobrimos que o evangelista, ao narrar-nos este fato leva-nos a pensar na belíssima expressão de compromisso de Deus com sua própria Palavra: “ Porque assim diz o Alto e o Excelso, que habita na eternidade e cujo nome é santo: Num alto e santo lugar habito, e também com o contrito e humilde de espírito, para vivificar o espírito dos humildes, e para vivificar o coração dos contritos.” Is 57:15
O motivo imediato deste choro de Jesus é a morte de Lázaro, seu amigo. Bem como a dor de suas irmãs, Marta e Maria que estavam inconsoláveis ante a perda irreversível do mesmo, pois sabiam que a morte é absoluta, impenetrável e definitiva. Neste momento, o Senhor aparece, e sugere a Marta que há de ressuscitar o defunto, mas a despeito da incredulidade da mesma o Senhor opera o milagre e o morto ressuscita. A questão que se levanta é: Porque Jesus chorou mesmo sabendo que o morto recobraria a vida? Não foi afinal uma oportunidade impar para manifestar um dos seus maiores milagres? Ocorre que quando o Senhor Jesus olhou Lázaro morto, ele chorou não apenas por aquela família enlutada ou pela perda de um amigo, mas chorou pela morte que entrou na humanidade e enlutou a raça humana, que transformou as nossas relações em relações frágeis. Que limitou nossa vida a contos ligeiros, em dias efêmeros, que nos fragilizou, nos deixando suscetíveis a sepultura e a ter que viver neste vale de lagrimas. Jesus chorou por mim e por você, pelas perdas que certamente teremos. A grande lição destas lágrimas chama-se identificação, empatia e consolo que existirão nos momentos mais difíceis de nossa existência, visto que Deus estenderá a sua mão aos nossos olhos para enxugá-los de toda lágrima. Afinal, o próprio Jesus teve o seu confronto com a morte, por isso nos diz: “fui morto, mas eis aqui estou vivo pelos séculos dos séculos; e tenho as chaves da morte e do inferno.(Ap 1:18). Ele também passou por este vale de lágrimas e por isso é o Deus de toda consolação. (Rm 15:5).

Um comentário:

Katia disse...

Com a "entrada" da morte na vida humana;morte essa, como nós sabemos, física e espiritual,é inevitável que por mais que tenhamos a certeza que "tal" pessoa partiu para os braços do pai,não nos entristeçamos.Não é a toa que o nosso Mestre e Salvador Jesus chorou com a morte d Lázaro;mesmo saebndo que iria vê-lo em breve.Acho q infelizmente as pessoas,digo,em sua maioria,estão tão ocupadas com o dia-a-dia de suas viads q pouco ou nada podem fazer por essas pessoas enlutadas.É uma pena;porque como já disse,as pessoas sofrem neste momento,e é nessa hora que devemos vivenciar o amor ao próximo com atitudes de companhia,ainda que silenciosa,mas estar ali,de corpo presente;e porque não com palavras sábias e consoladoras?